Devido a grande necessidade de se fazer missões e a mobilização para que se houvesse uma consciência missionária em prol dos povos não alcançados da janela 10/40 é que também vimos que deveríamos evangelizar o interior do nosso estado, afinal de contas tínhamos uma áfrica bem pertinho de nós, ou seja, pessoas não alcançadas pelo evangelho de Cristo, lugarejos e vielas de difícil acesso, cidades marcadas por grandes centros de romaria e idolatria, como Juazeiro do Norte e Canindé, conhecidas por “terra de Padre Cícero e São Francisco faziam parte da nossa realidade. Confrontados por este desafio, foi que em 1998, Henry Saldanha Magalhães, Cristiano Carneiro, Heber, Evandro, Wiliam, eu e o diácono Antonio Rodrigues Pinheiro, iniciamos um projeto de evangelização para ajudar os pastores do interior do estado de Ceará.

Na época éramos membros de uma pequena congregação da Igreja Assembléia de Deus ministério TC, conhecida como Avenida H, dirigida pelo Diácono Francisco Pereira. A nossa estratégia era enviar jovens para as cidades e lugarejos do interior do estado, no intuito de alcançar os não evangelizados do nosso sertão. Como só éramos nós e não havia mais tempo para mobilizar outras pessoas, o diácono Rodrigues nos desafiou a ir ao campo missionário. Eu e Evandro fomos para Munlungu, na época pastoreada pelo Pastor José Gomes, que nos recebeu com uma simples oração, “senhor muito obrigado, por que depois de tanto tempo orando, tu nos enviaste dois missionários para nos ajudar na evangelização de nossa cidade!”. Esta singela oração, partiu a minha alma ao ponto de apaixonar-me inteiramente pela obra missionária; Henry e William foram para Campos Belos, cidade pastoreada pelo Pastor Augusto; Cristiano e Heber estiveram em Cristais localidade de Morada Nova e foi recebido Pelo Pr. Carlos. E lá ficamos por dez dias evangelizando e discipulando, fazendo o que o senhor Jesus nos ordenara. Esta foi uma das melhores experiências que tivemos em toda a nossa vida, voltamos impactados com o que Deus fez através de nossas vidas e principalmente com a necessidade do campo. Isto foi o suficiente para que desafiássemos outros a doarem parte de suas férias colegiais ou trabalhistas para ir ao campo missionário, não foi difícil desafiar outras pessoas, o mais difícil foi enviá-las, pois não tínhamos recursos financeiros para mandá-las ao campo, a única solução era fazer uma sorvetada para levantar as passagem de ida e pedir aos pastores que iam receber a equipe que os enviasse de volta. Foi exatamente isso que fizemos, enviamos 35 jovens para diferentes cidades do nosso interior. Glória Deus!Até então os candidatos eram enviados por indicação e vocação, mas com a grande procura de jovens para o envio, resolvemos criar uma escola de Férias que passou a se chamar ESCAMF – Escola de Capacitação Missionária de Férias. A idéia era fazer uma escola de 20 dias, dez dias estudando e dez dias colocando em prática o que aprendemos. Para nós este foi um dos maiores desafios, se não tínhamos como enviar 35 jovens, como poderíamos fazer uma escola de 20 dias orçada em 8.000 mil reais? Sem nenhum recurso financeiro e sem nenhum patrocínio, fizemos a primeira ESCAMF com 65 alunos e enviamos para ajudar os pastores do interior. Se você perguntar, como fizemos isto? Eu respondo. Deus! “Ele é o dono do ouro e da prata,” Ele só quer saber se você vai! Essa foi uma das muitas outras escolas que vieram a pós esta.Em 2000, o trabalho de evangelização passou a se chamar, Projeto Daniel, com um lema, “Do Ceará aos Confins da terra!” Este nome foi dado em homenagem ao sobrinho do diácono Rodrigues, o mesmo servia a Deus como missionário de tempo integral na base da Jocum em Curitiba. Daniel desenvolvia um trabalho com meninos de rua, evangelizando e discipulado e tinha um sonho de enviar jovens para a Rússia. Mas em meados de 1999 recebemos a trágica noticia de que o jovem Daniel havia sido executado em seu apartamento, vitima de assalto. Lamentavelmente, perdemos um grande visionário, mas o sonho de ver vidas transformadas e enviar jovens para o mundo transcultural, continuou através do Projeto Daniel.Em 2002 o Projeto Daniel foi recebido na congregação de prefeito José Walter, pelo Evangelista Francisco Samuel Façanha de Souza.Em 2003 o diácono Rodrigues, fundador do Prodan, por motivos justos, tivera que se afastar do projeto passando assim o bastão da diretoria para o Evangelista Samuel e os missionários; Henry, Luciano Pinheiro e eu.A congregação de Jose Walter e o Evangelista Samuel, juntamente com sua esposa Lídia Façanha e seus filhos, Samuel Junior e Lidian Façanha tiveram uma enorme participação neste projeto. Em 2007 o Ev. Samuel deixou a diretoria do Projeto Daniel para pastorear a Igreja Assembléia de Deus em Mulungu-Ce. Com esta mudança, nos sentimos inquietados para um desafio maior, queríamos agora nos tornar uma Agência missionária e construir um Centro de Treinamento. Eu, Henry e Daniel Gadelha nos reunimos e oramos a Deus por este propósito e em seguida marcamos uma reunião com o Pr. Eliackim Rodrigues de Souza, atual pastor da igreja Assembléia de Deus em Pacajus. Nosso objetivo era conhecer melhor seu sabíamos que ele havia comprado um terreno para construir um Centro de Treinamento Missionário. Nesta reunião ele nos valou do CTM – Centro de Treinamento Missionário e do desejo de formar missionários para o campo cultural e transcultural, mas que precisava de pessoas que o ajudasse nessa tão grande tarefa. Ao retornar da reunião oramos a Deus para que ele nos direcionasse, pois nosso desejo era nos unir ao projeto do pastor Eliackim, mas não tínhamos certeza de que ele queria isto, mas um não nós já tínhamos, não nos custava nada tentar.Oramos a, e lançamos a idéia de unir os projetos, de imediato Pr. Eliackim concordou com a idéia de nos unirmos, ou seja, tornar nossos projetos um só, já que nossos objetivos eram os mesmos. Pastor Eliackim ficou satisfeito com a idéia de nos tornarmos um só Projeto.

O sonho de se tornar uma base missionária nasce em nosso coração em 1998 e o do Pr. Eliackim em 1993, ao regressar do campo Missionário em Paraguai e São Tomé e Príncipe – África – Deus coloca em seu coração o desejo de construir uma base missionária, movido por esta visão ele faz um projeto para um País Africano, pensado que era isto que Deus queria. Depois de 13 anos e de ter pastoreado as igrejas de Aracati, Itapipoca e esta pastoreando a Igreja de Pacajus, é que Deus lhe dar a oportunidade de comprar um terreno de 80.000 mil metros quadrado, na localidade de Mangabeira – Pacajus-Ce. Que passa a ser conhecido como CTM – Centro de Treinamento missionário da Missão Ceifa. Em 12 janeiro de 2008 os dois projetos passam a ser um só, com o objetivo de cumprir a tarefa da grande comissão do nosso senhor Jesus, pois foi ele mesmo quem disse: Erguei os vossos olhos, e vede os campos! Já estão brancos para a Ceifa (João 4:35).
Pois é com este compromisso que o Projeto Daniel passa a ser Missão Ceifa - Do Ceará aos Confins da Terra!

História escrita pelo Missionário, Nicodemus Sampaio Rezende.

 
 
First Image
Second Image
Third Image
Fourth Image